quinta-feira, maio 30

Nos últimos anos, alguns investimentos, como os em ETF’s, por exemplo, o GETH11, e as criptomoedas têm ganhado espaço no mercado financeiro. 

Essas últimas apresentam um grande potencial, com evolução constante e uma oferta indispensável de lucratividade para os seus investidores.

Entre as mais variadas moedas digitais que surgiram, o Ethereum se destaca como uma das mais promissoras e com foco em inovação. 

Por isso, se o seu objetivo é entender um pouco melhor sobre a sua funcionalidade e o porquê de ser uma das favoritas dos investidores, leia este artigo até o final para desvendar todos os mistérios dessa criptomoeda e saiba em detalhes como ela funciona. Aproveite!

O que é Ethereum?

Ethereum é uma plataforma descentralizada que permite a criação e execução de contratos inteligentes e aplicativos descentralizados (DApps). Foi fundada em 2015 por um programador adolescente chamado Vitalik Buterin. 

Ao contrário do Bitcoin, que foi projetado para ser um dinheiro digital para transferência de valor, o Ethereum foi construído para ser uma plataforma mais ampla, permitindo que códigos e programas autônomos sejam executados dentro do blockchain.

Como o Ethereum funciona?

Ethereum faz uso da tecnologia blockchain, que é comparável ao Bitcoin. O blockchain é um registro público imutável de transações que são validadas e publicadas de forma descentralizada por uma rede de computadores conhecida como nós. 

A principal distinção é que o Ethereum vai além de simples transações monetárias, permitindo a construção de contratos inteligentes. Assim, ninguém sairá prejudicado ao realizar operações com esse tipo de moeda, reforçando sua segurança dentro do meio virtual.

Qual o valor e como comprar?

Levando em consideração que criptomoedas estão sempre variando, até a publicação deste artigo, 1 unidade de Ethereum custava, aproximadamente, R$ 8.185

Para realizar a sua compra, é necessário buscar uma plataforma de criptomoedas e ativos digitais da América Latina ou de outra localidade onde resida.

O que são contratos inteligentes?

Os contratos inteligentes são programas de programação autoexecutáveis ​​que ajudam a facilitar, verificar ou reforçar a negociação ou o desempenho do contrato. Em muitos procedimentos, eliminam a necessidade de intermediários, tornando as transações mais rápidas, mais transparentes e mais confiáveis. 

Um contrato inteligente, por exemplo, pode ser usado para automatizar pagamentos quando condições específicas forem atendidas. Dessa maneira, torna-se muito mais simples realizar determinadas ações de maneira segura.

Aplicativos descentralizados

Ethereum, além de contratos inteligentes, permite o desenvolvimento de aplicações descentralizadas. Esses aplicativos são criados na plataforma Ethereum e funcionam de forma autônoma, sem supervisão central. Os DApps têm potencial para transformar vários setores, desde finanças até jogos online.

DApps são aplicativos de software executados em uma rede descentralizada, como o blockchain Ethereum, em vez de em um servidor centralizado. Isto tem várias vantagens, incluindo maior segurança, transparência e resistência à censura. Todas as transações realizadas são visíveis para todo e qualquer participante de uma rede.

Ether (ETH): a moeda do Ethereum

Da mesma forma que o Bitcoin possui a sua própria moeda digital, conhecida como BTC, o Ethereum também tem a sua moeda: o Ether (ETH). Ela é utilizada para realizar pagamentos de transações feitas em uma rede Ethereum, além de incentivar os mineradores que possuem interesse nesse meio virtual.

O Ether garante que os mineradores mantenham a rede funcionando, sempre verificando as transações e adicionando novos blocos à blockchain. 

Assim, a moeda se mantém em manutenção, evitando que possíveis erros e falhas possam comprometer o seu desempenho dentro do mercado, reduzindo, de certo modo, os riscos de instabilidade.

Proof of Work vs Proof of Stake

Ainda que haja uma série de realizações por parte dessa moeda digital, o Ethereum enfrenta uma série de desafios técnicos, especialmente em relação à sua escalabilidade. Com um número crescente de DApps e transações, a rede poderá enfrentar alguns problemas de congestionamento e taxas elevadas, o que pode ser um empecilho para investidores.

No entanto, para solucionar esses problemas e tornar essa moeda um pouco mais viável, o projeto do Ethereum 2.0 promete trazer todas as preocupações de sua versão anterior. 

Assim, haveria uma melhora na capacidade de processamento da rede, o que fará com que haja uma redução do consumo de energia e, consequentemente, uma alta no desempenho.

Escalabilidade e desafios técnicos da criptomoeda

O Ethereum representa uma verdadeira inovação no campo das criptomoedas, especialmente por causa de sua refinada tecnologia blockchain. A sua capacidade de execução de contratos inteligentes e DApps acabou abrindo caminhos para uma série de possibilidades nos mais variados setores.

No entanto, por ser vista como uma tecnologia emergente, o Ethereum também enfrenta diversos desafios que precisam ser superados para alcançar um potencial pleno. Dessa forma, antes de realizar um investimento em sua moeda, é preciso estudar um pouco mais sobre ela, sobre sua instabilidade e oportunidades que podem ser adquiridas.

O Ethereum representa uma inovação indiscutível no campo das criptomoedas e tecnologia blockchain. Já que, a sua capacidade de executar contratos inteligentes e DApps abriu portas para uma infinidade de possibilidades nos mais variados setores. Acompanhar o desenvolvimento dessa criptomoeda revolucionária, com certeza, continuará trazendo grandes emoções nos próximos anos.

Share.