quinta-feira, junho 13

Entenda os principais sintomas e problemas do refluxo laringofaríngeo, que afeta inúmeros brasileiros, e saiba ainda as formas de tratar e reduzir o impacto

O refluxo laringofaríngeo é uma preocupação crescente entre muitos brasileiros, afetando significativamente a qualidade de vida de uma parcela considerável da população.

E infelizmente esta condição é muitas vezes subestimada, podendo ter um grande impacto nas vias aéreas superiores, gerando desconforto e sintomas persistentes.

Por isso, entender os efeitos do refluxo laringofaríngeo é fundamental para aqueles que enfrentam essa questão e para profissionais da saúde que buscam oferecer o melhor cuidado possível aos seus pacientes.

Nesse sentido, vamos abordar de forma clara e objetiva os sintomas, causas, diagnóstico e opções de tratamento disponíveis para o refluxo laringofaríngeo e ao fornecer informações precisas e acessíveis sobre esse tema, esperamos aumentar a conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce.

O que é refluxo laringofaríngeo?

De forma geral, o refluxo laringofaríngeo é uma condição na qual o conteúdo ácido do estômago retorna para o esôfago e chega até a laringe e a faringe.

Ao contrário do refluxo gastroesofágico comum, que se manifesta principalmente com sintomas digestivos, como azia e regurgitação, o refluxo laringofaríngeo pode causar sintomas como sensação de algo preso na garganta, tosse crônica, rouquidão e até irritação na garganta.

Causas do refluxo laringofaríngeo

Existem vários fatores que podem contribuir para que ocorra o refluxo laringofaríngeo. Entre eles estão a anatomia das vias aéreas superiores (no sentido de formato), uso de dieta rica em alimentos ácidos e gordurosos, além do consumo excessivo de álcool e tabagismo.

Mas é preciso ser dito que o refluxo laringofaríngeo pode ser desencadeado por certos medicamentos, como antidepressivos e relaxantes musculares também.

Como ele afeta as vias aéreas superiores?

O refluxo laringofaríngeo pode irritar as membranas mucosas das vias aéreas superiores, causando inflamação e sintomas incômodos. A irritação constante da garganta pode levar à tosse crônica, dor ao engolir e sensação de queimação na garganta.

Em casos mais graves, o refluxo laringofaríngeo não tratado pode levar a complicações como úlceras nas cordas vocais e estenose das vias aéreas superiores.

Diagnóstico e avaliação

O diagnóstico do refluxo laringofaríngeo envolve geralmente uma combinação de exames clínicos e testes específicos. Os médicos podem realizar uma laringoscopia para examinar visualmente a laringe e identificar possíveis sinais de inflamação.

Além disso, a pHmetria esofágica pode ser usada para medir o pH no esôfago e confirmar a presença de refluxo ácido.

Também podem ser utilizadas tecnologias avançadas como o videolaringoscópio, que permite uma visualização mais detalhada das vias aéreas superiores, auxiliando no diagnóstico preciso do refluxo laringofaríngeo e orientando o plano de tratamento adequado.

Formas de tratamento

Felizmente, hoje existem várias opções de tratamento disponíveis para o refluxo laringofaríngeo, que variam de mudanças no estilo de vida a medicamentos e terapias complementares.

Evitar alimentos que desencadeiam o refluxo, elevar a cabeceira da cama durante o sono e evitar comer antes de dormir podem ajudar a reduzir os sintomas.

Existem ainda os medicamentos como inibidores da bomba de prótons (IBPs) e antiácidos que podem ser prescritos para diminuir a produção de ácido no estômago.

Caso prefira, as terapias complementares, como acupuntura e fonoaudiologia, também podem ser úteis no cuidado do refluxo laringofaríngeo.

De toda forma, buscar tratamento para o refluxo laringofaríngeo é essencial para melhorar sua qualidade de vida e prevenir complicações a longo prazo.

Ao reconhecer os sintomas precocemente e buscar orientação médica adequada, os pacientes podem encontrar alívio dos sintomas e melhorar sua saúde das vias aéreas superiores.

Então não deixe o refluxo laringofaríngeo atrapalhar seu bem-estar – busque ajuda profissional e explore as opções de tratamento disponíveis para você.

Ao reconhecer os sintomas, busque um diagnóstico adequado e considere as opções de tratamento disponíveis, assim será possível mitigar o impacto e melhorar significativamente.

Como pôde ver, desde mudanças simples no estilo de vida até intervenções médicas avançadas, como o uso do Videolaringoscópio para diagnóstico preciso, há uma variedade de abordagens para gerenciar o refluxo laringofaríngeo.

Portanto, encorajamos todos aqueles que sofrem com sintomas relacionados a procurar orientação médica e tomar medidas para cuidar de sua saúde das vias aéreas superiores. 

Ao fazer isso, é possível encontrar alívio dos sintomas, prevenir complicações futuras e desfrutar de uma vida mais saudável e confortável.

Share.